22 abril 2010

ABRE O OLHO, MEU IRMÃO!

Mocolândia tá fervendo
com sua reconstrução
esse é um tempo velho
velho-novo, novo não
professor tá percebendo
continua a servidão
de trezento a quatocento
 ele ganha, meu irmão
isso é uma maravilha,
 veja que revolução
pega logo e não faz briga
essa é a nova escravidão
o negócio tá perfeito
cada um com seu carrão
com parentes empregados
pendurados nos cunhão
veja a nobreza de espírito
rejeitaram até milhão
era pro saneamento,
ninguém caga no sertão
no gosto do galeguim
isso é a salvação
Serra Azul tá fervilhando
com tanta concentração
cada um tem uma gleba
na serra em um grotão
refloresta, minha gente
cada muda com a mão
não se fala de política
não se malha a gestão
e na cabeça do povo
vão plantando ilusão
fica a verdade espalhada
pelo vale, no areião
os ricos cada vez mais ricos
os pobres lambendo o chão
chama Cirço, chama Brito
chama Tó, chama João
reparem  o assossego
escondendo a enganação
chama a velha da Formosa,
Siliverso com o facão
Seu Hermes enxerga tudo
sem o dote da visão
quem não vê como seu Hermes,
abre o olho, meu irmão!
(JM da Silva)

2 comentários:

Leandro disse...

Muito boa poesia, dissertação, texto, ou seja lá o queira chamar o autor dessas palavras. O importante é que deixo aqui o meu comentário frisando a minha admiração por esse blog,que sempre que possivel, dou um espiada, pra meio que se enterrar com os assuntos do Pé da Serra.
Em busca da melhoria constante, acho que um "canto" para as fotos da nossa região, seria de grande satisfação, para pessoas que como eu, vivem longe da "terrinha".

GTV BOCA DO INFERNO disse...

Valeu, Leandro, obrigado pela participação. Comente sempre, é uma honra tê-lo como leitor. Quanto a um arquivo com fotos, a gente ainda não providenciou porque tornaria o blog um pouco mais pesado o que dificultaria o acesso lá em nossa região cujo serviço de internete ainda não é dos melhores. Há braços!